O papel da embalagem e as tendências do setor em prol de uma cadeia mais sustentável

O papel da embalagem e as tendências do setor em prol de uma cadeia mais sustentável

Confira, neste conteúdo, mais sobre as tendências do setor de embalagens em prol da sustentabilidade! Continue a leitura para entender!

Em uma de suas inúmeras participações em eventos em feiras internacionais do setor de embalagens, a diretora do Instituto de Embalagens, Assunta Camilo, apresentou em um evento promovido pela ABRE – Associação Brasileira de Embalagem, dados da Feira Anuga, que aconteceu no final de 2021, com novidades e tendências para as embalagens em 2022.

A Anuga, que aconteceu em Colônia, na Alemanha, é considerada a maior feira de alimentos e bebidas do mundo, referência para os setores de supermercados e foodservice. Na ocasião da feira, alguns assuntos ganharam destaque como as tendências de “clean label” (rótulo limpo) e “free-from” (“que traduzido para o português significa “livre de”), ou seja, um produto alimentício livre de algum tipo de substância específica”, bem como como alimentação saudável.

Em contrapartida, muitas empresas já se movimentam dentro e fora do país, a fim de oferecer projetos especiais que mostram inovações em embalagens e produtos, como os alternativos à proteína animal e a laticínios, em “clean label” e, também em “cell-based meat”, a carne artificial.

A pandemia contribui para a mudança de alguns valores e posturas de forma bem abrangente, e o consumidor está atento a empresas com processos mais sustentáveis, como produtos “Cruelty Free”, sem químicos, com menos aditivos etc. “Há uma preocupação global com três pilares: econômico, social e ambiental, e uma cobrança  com relação à sustentabilidade, saúde, conveniência e estilo de vida por parte dos consumidores às indústrias que, por sua vez, se movimentam para atender às novas exigências, todas com algum claim (motivo, reivindicação) relacionado”, explica Assunta.

Os compromissos de sustentabilidade são tendências

O compromisso das grandes marcas com a redução de embalagens, o combate ao desperdício de alimentos e a garantia da segurança alimentar, a começar por seguirem os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), um apelo universal da Organização das Nações Unidas para produzir um conjunto de objetivos que suprisse os desafios ambientais, políticos e econômicos mais urgentes que nosso mundo enfrenta. A neutralização de carbono assim como a aposta na economia circular, ecodesign, análise de ciclo de vida e pesquisa de embalagens estão entre as prioridades para os próximos anos.

“Acreditamos que embalagens melhores promovem um mundo melhor e que devem ser utilizadas para Educar & Informar sempre, incentivando uma nova postura quanto à reciclabilidade pós-consumo”, pontua Assunta. “E ainda, lembramos que a conscientização de todos é fundamental para apoiar reciclagem em variados pontos da cadeia de consumo, desde a fabricação até a etapa final, do descarte, reciclagem e/ou reuso”, conclui.

A Camargo, ciente de sua responsabilidade em todo o ciclo de vida da embalagem, busca conscientizar seus clientes e também o mercado acerca da importância do tema, sempre trazendo conteúdo e cases de sucesso em suas redes sociais, sites e ações com a imprensa em prol de ações mais sustentáveis no setor.

Fale conosco via
WhatsApp