Empresa baiana Espumil lança álcool em gel para atender urgente demanda da pandemia

Camargo Embalagens atende em tempo recorde para lançamento de linha de álcool em gel

A Espumil, empresa baiana de saneantes obteve a licença para a fabricação de álcool em gel para atender ao aumento de demanda diante da Covid-19 e contou com a ajuda da Camargo Embalagens para a criação e fabricação dos rótulos de seu novo produto.

Como explica o diretor comercial da Espumil, João Paulo Pereira Hannequim Dantas, a empresa foi procurada por diversas prefeituras, governo do estado da Bahia e por clientes com a solicitação de fabricar álcool em gel para atender a uma demanda latente por conta da pandemia. 

Para atendê-los, a empresa fez uma verdadeira “força-tarefa”, adaptando a linha de produção de lava-louças, seguindo todas as exigências de higienização e segurança para a fabricação do álcool em gel. “Como se tratava de uma situação atípica e emergencial, contar com parceiros estratégicos foi fundamental para que o produto estivesse disponível em menos de duas semanas em estabelecimentos como supermercados e farmácias”, diz. “Desde maquinários, fornecedores de insumos, embalagens e dos rótulos desse novo produto, fabricados em tempo recorde, todos estavam engajados num mesmo propósito: continuar a ofertar produtos essenciais à população”, afirma.

Para o diretor da Camargo Embalagens, Felipe Toledo,  a criação e confecção dos rótulos para a nova linha de álcool em gel da Espumil em um período limitado de tempo é um exemplo de que a companhia está capacitada para atender situações emergenciais graças à equipe de inovação e também à infraestrutura para todos os tipos de demanda.

Inicialmente a Espumil está focada na fabricação de álcool em gel, mas já está fazendo as adequações necessárias em sua fábrica para que o produto integre a linha regular, ampliando a versão com o álcool líquido e de superfície, ambos com produção prevista para os próximos meses, quando pretende renovar a licença de modo efetivo para a fabricação do produto.

NOTA: No dia 17 de março a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) publicou no Diário Oficial que as empresas fabricantes de saneantes poderiam produzir também, em caráter emergencial por 180 dias, preparações antissépticas ou sanitizantes oficinais, em virtude da emergência de saúde pública internacional relacionada ao SARS-CoV-2, entre as quais estão álcool etílico 70% (p/p); álcool etílico glicerinado 80%; álcool gel; álcool isopropílico glicerinado 75%; água oxigenada 10 volumes e  digliconato de clorexidina 0,5%.

Fale conosco via
WhatsApp