Cosméticos: ampliando nossa atuação no mercado com opções mais sustentáveis

Com variedade de estruturas a empresa oferece soluções personalizadas e sustentáveis sob medida, tanto em bobinas com pouches preformados prontos para envase de cosméticos

Reconhecida por mais de duas décadas produzindo embalagens para todos os segmentos da economia, com destaque para o alimentício, agora a Camargo Cia de Embalagens amplia sua atuação para a indústria de cosméticos com opções de embalagens que visam agregar maior valor e consciência ambiental às marcas, com variadas possibilidades de combinações de filmes e estruturas de acordo com as necessidades dos clientes.

Como explica o diretor da empresa, Felipe
Toledo, a demanda por soluções que sejam mais amigáveis ao meio ambiente tem
crescido bastante, e por essa razão, a Camargo desenvolveu uma opção para o
mercado de cosméticos, que  tem alta percepção de valor e exigência por
parte dos consumidores.  “Acreditamos que trazer o tema de
sustentabilidade para este mercado gera um valor adicional às marcas, com opções
sustentáveis no lugar das estruturas convencionais”, diz.   

A Camargo está trabalhando com filmes
sustentáveis com diversas características: feito com percentual de garrafas PET
reciclada, com fontes renováveis (cana-de-açúcar), filmes compostáveis e
biodegradáveis, entre outros, com estruturas que podem ser produzidas em
bobinas, ou em pouches preformados feitos in house, entregues já prontos para o
envase.

Entre os clientes já atendidos pela Camargo desse segmento estão L’occitane, Delly Kosmetic, Bonyplus, New Face, entre outros, mas a ideia é ampliar a o volume ainda em 2020. “Temos capacidade produtiva e conhecimento técnico para atender o mercado de cosméticos com uma embalagem sustentável, pois sabemos que a indústria também busca melhores alternativas para reduzir o impacto ao meio ambiente. Ao adotar embalagens flexíveis no lugar das rígidas, por si só, já reduz drasticamente o consumo de plástico no produto, minimizando  o impacto daquele material na produção e também após o descarte”, pontua o diretor. “Temos clientes que passaram do frasco rígido para o flexível (refil) e atingiram mais de 80% de redução de material plástico na embalagem, comunicando isso nas próprias embalagens”, exemplifica.

Além da redução do impacto ambiental, a embalagem tem que garantir a proteção do produto durante a distribuição e o armazenamento, e aí é o grande desafio: criar um embalagem técnica que mantenha a proteção do produto e ainda reduza o impacto ambiental. “No entanto, não podemos ficar parados esperando a “solução perfeita”, e o nosso compromisso é o de evoluir com o mercado, sempre oferecendo o que há de novo com relação à sustentabilidade, e aliando seu conceito a processos internos com baixa emissão de poluentes”, finaliza.

Fale conosco via
WhatsApp